INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Saúde e Bem Estar

COVID-19: farmacêutica Pfizer afirma que pílula diminui em 89% o risco de morte pela doença

Na última sexta-feira(5), a farmacêutica americana Pfizer informou que os testes clínicos com o seu comprimido experimental contra o coronavírus apresentou grande eficiência da pílula. O medicamento com o nome de Paxlovid, reduziu o risco de hospitalização ou óbito em 89% entre pacientes adultos com a doença com grande risco de progredir a doença em caso grave.


(Foto: Reprodução/ GazetaDigital)


Na realização dos testes, cerca de 389 pacientes positivos para a doença receberam o comprimido em até 3 dias depois dos sintomas. Desses pacientes, 3 foram hospitalizados no período de até 28 dias depois do começo do estudo e não tiveram num óbito. O estudo também abrange outros 385 pacientes, do qual não receberam a pílula, onde tiveram 27 hospitalizados e 7 óbitos.

Ainda teve o teste em 607 pacientes em até 5 dias depois do surgimento das manifestações das doenças. Diante disso, 7 ficaram hospitalizados e não teve mortes. Mais 612 infectados pela doença não receberam a pílula e nesse caso 41 ficaram internados e ocorreram 10 mortes. Para este estudo nenhum dos pacientes tinham sido vacinado contra o coronavírus. O medicamento Paxlovid teve em sua administração a mistura com dose baixa do Ritonavir, outro antiviral.

A farmacêutica americana Pfizer comunicou que pretende mostrar à FDA (Food And Drug Administration), agência reguladora americana, as respostas dos testes com o medicamento, como processo para conseguir a permissão para o uso emergencial nos EUA( Estados Unidos) começado em outubro.

https://inmagazine.ig.com.br/post/Italia-tem-retrocesso-no-combate-ao-Coronavirus-depois-de-meses-e-pandemia-mostra-sua-forca

https://inmagazine.ig.com.br/post/OMS-aprova-vacina-Covaxin-para-uso-emergencial

https://inmagazine.ig.com.br/post/Brasil-registra-164-mortes-por-Covid-19

As respostas preliminares  Paxlovid aparentam ultrapassar os que foram alcançados por um medicamento semelhante elaborado pela farmacêutica MSD (Merck Sharp and Dohme)  nos Estados Unidos e Canadá, em colaboração com a Ridgeback Biotherapeutics. A pílula Molnupiravir apontou no mês anterior que diminuía pela metada a possibilidade de morte ou hospitalização de pessoas infectados pela covid-19 com grande risco de evoluir para casos graves.

Na última quinta-feira(4), Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde do Reino Unido aprovou o uso do medicamento Molnpiravir nos adultos com coronavírus e pelo menos 1 fator de risco. Essa pílula foi a primeira comprovada com eficácia para o tratamento da Covid-19.

Ainda não estão disponíveis as informações completas do estudo de ambas as companhias.

As ações da Pfizer aumentaram 13%, para 49,47 dólares com a  notícia, no mesmo momento em que os da MSD teve queda de 6%, resultando em 84,69 dólares.

Foto destaque: Garak01/ Pixabay 

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...