INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Saúde e Bem Estar

Estudo diz que cirurgia bariátrica diminui mortalidade de idosos obesos em 60%

O resultado de uma pesquisa mostrou vários benefícios para pessoas com comorbidades e idosos com mais 65 anos. Foi realizado um estudo nos Estados Unidos que mostrou os benefícios da cirurgia bariátrica em pessoas obesas com comorbidades e para idosos com mais de 65 anos. Entre os grupos estudados, o risco de mortalidade por eventos relacionados à saúde do coração foi reduzido em até 60%.

A cirurgia bariátrica no Brasil, tem como objetivo a redução do tamanho do estômago, ela é recomendada para pessoas com IMC (medida calculada dividindo o peso pela altura ao quadrado) maior que 35, a partir de 16 anos. De acordo com as informações do Ministério da Saúde, entre 2006 e 2019 o número de idosos obesos aumentou de 16,1% para 23%.

A análise foi feita a partir do acompanhamento de 189.770 pessoas inscritas no Medicare, o seguro de saúde americano, que possuam comorbidades limitantes ou com mais de 65 anos, durante quatro anos seguidos, entre 2013 e 2019. Os participantes foram divididos igualmente em dois grupos, um com aqueles que passaram pela cirurgia e outro, de controle, com pacientes obesos que não aderiram à intervenção.

Essa intervenção pode reduzir o risco de eventos cardiovasculares e pode melhorar o controle de diferentes fatores de risco cardíaco, como diabetes, hiperlipidemia, hipertensão e distúrbios respiratórios do sono, relacionada além a um menor risco de mortalidade por diferentes de câncer.


A cirurgia bariátrica no Brasil tem como objetivo a redução do tamanho do estômago (Foto: Reprodução/Getty Images)


Todos os resultados, que foram publicados na Journal of the American College of Cardiology, revelaram que obesos que realizaram o procedimento tiveram queda de 37% de mortalidade, 54% de insuficiência cardíaca, 37% de infartos e 29% de casos de AVC (acidente vascular cerebral).

Agora para idosos com mais de 65 anos, os estudos mostrou que representavam 33% dos participantes do estudo, os resultados gerais foram ainda mais expressivos: 60% na redução do risco de mortalidade por todas as causas, 79% menor risco de hospitalização por insuficiência cardíaca, 80% menor risco de infarto, mas nenhuma diferença no risco de AVC.

Foto Destaque: Reprodução/Getty Images

 

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 4 =

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...

Reality

A final de A Fazenda 15 vai acontecer na quinta-feira (21). Quatro integrantes estão na disputa pelo prêmio de um milhão e meio de...