INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Tech

Meta revela informações sobre os algoritmos de recomendação do Facebook e Instagram impulsionados por IA

O Meta, empresa por trás do Facebook e Instagram, anunciou medidas para aumentar a transparência em relação ao uso de algoritmos de inteligência artificial (IA) e personalização de conteúdo. Através de cartões explicativos, o Meta revelou as três etapas do processo de recomendação automatizada de conteúdo.

No caso do recurso Explore do Instagram, a primeira etapa é a coleta de conteúdo público, incluindo fotos e vídeos que estão de acordo com as regras de qualidade e integridade da empresa. Em seguida, são utilizados sinais de interação dos usuários, como engajamento com conteúdo semelhante ou interesses relacionados, também conhecidos como “sinais de entrada”. Por fim, o conteúdo é classificado com base nesses sinais, priorizando aqueles que se prevê serem de maior interesse para o usuário e posicionando-os em destaque na guia Explore.

Além disso, o Meta está expandindo o recurso “Por que estou vendo isso?” para os Reels do Facebook, Reels do Instagram e a guia Explore do Instagram. Essa ferramenta permitirá que os usuários saibam como sua atividade anterior influenciou o sistema a mostrar determinado conteúdo. O Instagram também está testando a opção de marcar Reels recomendados como “Interessados” para ver conteúdo semelhante no futuro.


Captura de tela do novo sistema de cards da Meta. Reprodução/Yahoo Finance


A empresa também anunciou o lançamento da Biblioteca e API de Conteúdo, que fornecerá dados públicos do Facebook e Instagram para pesquisadores. Essa suíte de ferramentas será disponibilizada para parceiros aprovados, começando com a Universidade de Michigan. O objetivo é oferecer acesso abrangente ao conteúdo disponível publicamente nas plataformas e cumprir as obrigações de transparência e compartilhamento de dados.

No entanto, o Meta também enfrenta desafios relacionados à detecção e combate à exploração sexual infantil em suas plataformas. Reportagens e pesquisadores descobriram que os sistemas do Meta ajudaram a conectar e promover uma vasta rede de contas dedicadas a conteúdos de abuso sexual infantil. A empresa está tomando medidas para bloquear essas redes, remover contas violadoras de políticas de segurança infantil e melhorar seus sistemas para prevenir recomendações inadequadas.

Essas iniciativas do Meta visam também, fornecer aos usuários um maior controle e personalização da experiência nas plataformas. Elas também estão em consonância com as preocupações dos reguladores em relação ao uso de IA e gestão de dados pessoais. Com a iminente implementação do Ato de Marketing Digital pela União Europeia em 2024, a transparência e o controle do usuário sobre o conteúdo se tornam ainda mais importantes.

Foto Destaque: Edifício sede da Meta — Reprodução: Shutterstock

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...